Desmembramento de área

Já imaginou pagar o IPTU do seu vizinho por anos, injustamente?

Este é o caso do aposentado que com muito sacrifício comprou sua casa própria, acreditando que iria desfrutar da paz e sossego, mas não foi bem assim.

Sua propriedade estava construída sobre 50% de um lote e seu vizinho na outra parte dos 50%, situação que gerava a emissão de apenas um carnê de IPTU.

Durante anos o aposentado pagou sozinho o IPTU e cansado de cobrar seu vizinho do pagamento da parte que lhe correspondia, procurou então um advogado.

No caso em questão, ele tinha somente o contrato de compra e venda, documento insuficiente para o desmembramento junto a Prefeitura.

Antes de iniciar o desmembramento seria necessário a escritura, porém a loteadora (que vendeu o imóvel) não atuava mais no mercado, o que inviabilizou a referida escritura.

Neste caso, foi acionado o poder judiciário, através da ação de adjudicação compulsória, para que a loteadora fizesse a outorga definitiva da escritura.

Na ação a loteadora, mesmo citada deixou de se manifestar, o que acarretou na procedência do pedido.

A sentença reconheceu a propriedade e determinou que caso a loteadora não a fizesse a própria sentença serviria de título para a outorga da escritura pública.

De posse dessa sentença o cartório abriu uma matrícula referente à totalidade do lote e com ambos os documentos a solicitação foi encaminhada para a Prefeitura da cidade para o tão sonhado desmembramento.

O desmembramento já foi autorizado pela Municipalidade, e agora será dois carnês de IPTU um para cada lote, ou seja, um para cada imóvel.

E mais. De posse de toda essa documentação o cartório de Registro de Imóveis procederá a abertura de duas matrículas, sendo que os 50% do lote do aposentado, se transformará em 100%, com a imissão da matrícula apenas do seu imóvel.

Agora, ele já pode desfrutar do seu imóvel em paz, com toda a documentação devidamente regularizada.

O processo judicial recebeu o nº 1024972-30.2018.8.26.0602

About the Author

Luciane Freitas
Luciane Freitas

Para chegar em algum lugar tudo parte de um começo. Eu não escolhi o Direito, ele me escolheu. Minha primeira opção era o curso de psicologia, porém por força de uma transferência de curso no meio do ano iniciei o curso de Direito e descobri minha verdadeira paixão!

0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *